Archive for the cantora Category

Sarah Brightman

Posted in Atrizes Europeias Não de Hollywood, cantora with tags , , , , , , , , , on 25/08/2013 by ilustratordesign

Sarah Brightman
Sarah Brightman (Berkhamsted, Hertfordshire, Inglaterra, 14 de agosto de 1960) é uma atriz e cantora soprano. Vendeu mais de 30 milhões de álbuns e mais de 2 milhões de DVDs, tendo conquistado 160 discos de Ouro e Platina em 34 países. A trilha sonora do musical O Fantasma da Ópera, estrelado por Sarah, vendeu mais de 40 milhões de cópias, tornando-se um dos álbuns mais vendidos de todos os tempos, sendo o mais vendido do seu gênero musical . Foi a fonte de inspiração para Andrew Lloyd Webber criar o papel de Christine Daaé para o musical que ficou em cartaz por mais tempo, The Phantom of the Opera. Possui a habilidade de cantar em várias línguas, incluindo Inglês, espanhol, francês, latim, alemão, Italiano, russo, hindi e mandarim.

Já cantou com os maiores nomes da música internacional como: Andrea Bocelli, Placido Domingo, José Carreras, Josh Groban, Paul Stanley e entre muitos outros.

Ann Miller

Posted in atrizes de Hollywood, cantora with tags , , , , , , on 03/05/2013 by ilustratordesign

Ann Miller
Johnnie Lucille Ann Collier, mais conhecida como Ann Miller (Nacogdoches, Texas, 12 de abril de 1923 – Los Angeles, Califórnia, 22 de Janeiro de 2004) foi uma atriz, cantora e dançarina americana.

Charlotte Rampling

Posted in Atrizes Europeias Não de Hollywood, cantora with tags , , , , , on 24/02/2013 by ilustratordesign

Charlotte Rampling
Nascida em Sturmer, uma pequena cidade do condado de Essex, na Inglaterra, Charlotte é filha de um coronel do exército britânico e da OTAN, Godfrey Rampling. Trabalhou em 1972 no filme “Asilo Sinistro”, da Amicus. Após alguns filmes de menor expressão, Charlotte, que sempre deu preferência a papéis controversos e desafiadores do que a papéis populares, deu um salto na carreira com um dos papéis principais de La caduta degli dei (br: Os deuses malditos / pt: Os Malditos), uma das obras-primas antiguerra e antinazista do mestre do cinema italiano Luchino Visconti, que a tornou um dos nomes mais conhecidos do cinema na Europa. Seu olhar considerado gélido e sedutor, (The Look, como era chamado) ressaltado por suas sobrancelhas, passa a ser sua marca registrada. Seu grande momento, entretanto, veio cinco anos depois, no polêmico e aclamado pela crítica Il portiere di notte (O Porteiro da Noite, 1974), de Liliana Cavani, que trata da relação sadomasoquista entre uma ex-prisioneira dos nazistas (Rampling) e seu antigo carrasco (Dirk Bogarde) num encontro no pós-guerra, e a transforma num símbolo sexual cult e grande estrela internacional. Enquanto continuava a filmar na Europa, no fim da década de 1970, Charlotte tornou-se mais popular entre a audiência norte-americana com seu trabalho no film noir Farewell, My Lovely, com Robert Mitchum (1975), baseado no romance de Raymond Chandler, Stardust Memories (br: Memórias) com e de Woody Allen e, principalmente, The Verdict (O Veredito), de 1982, sucesso de bilheteria e premiações com Paul Newman. Em 1986, voltou a provocar polêmica entre platéia e crítica com o filme Max, Mon Amour, de Nagisa Oshima, em que ela se apaixona por um chimpanzé. Nos anos 90 Charlotte diminuiu o ritmo e o interesse em sua carreira, fazendo poucos filmes e trabalhando mais em filmes para a televisão britânica. Ela credita ao cineasta francês François Ozon sua volta em grande estilo ao cinema nos anos 2000, com Sou le sable (br: Sob a Areia), de 2000, e Swimming Pool (br: À Beira da Piscina) de 2003, ambos sucessos de crítica principalmente às interpretações de Charlotte, e concorrentes a vários prêmios.

Ginger Rogers

Posted in atrizes de Hollywood, cantora with tags , , , , , , , , , , , on 27/12/2012 by ilustratordesign

gingers rogers
Nascida Virginia Katherine McMath, no dia 16 de julho de 1911 e falecida em 25 de abril de 1995, Ginger Rogers foi uma premiada atriz/dançarina/cantora do cinema e teatro americana.  Estreou em Hollywood no filme Inconstância,  produzido pela Paramount, aos 19 anos . Conheceu Fred Astaire na década de 30 e com ele fez dez filmes musicais,  tornando-se uma de suas mais célebres parceiras. Em 1941, recebeu o Oscar de melhor atriz por seu papel dramático em Kitty Foyle. Trabalhou em Hollywood até 1971.

Olivia Newton Jonhn

Posted in atrizes de Hollywood, Atrizes Europeias Não de Hollywood, cantora with tags , , , , , , , on 17/12/2012 by ilustratordesign

Olivia Newton John
Olivia Newton-John, (Cambridge, 26 de Setembro de 1948) é uma cantora e atriz inglesa radicada na Austrália. Em 1974, representou o Reino Unido, no Festival Eurovisão da Canção 1974, interpretando tema Long live love, que terminou em quarto lugar. Neta do físico Max Born, tornou-se uma estrela internacional com o sucesso do filme Grease (1978), que no Brasil se chamou Nos tempos da brilhantina. Nesse filme seu parceiro foi John Travolta, com quem faria outro filme em 1983, Two of a Kind, desta vez sem muito sucesso. O musical Xanadu foi outro filme famoso que teve Olivia como protagonista. Aqui, seu parceiro foi Gene Kelly, o histórico astro do gênero. Fez sucesso também com as canções PhysicalA Little More LoveMagic e Xanadu, as duas últimas partes da trilha sonora do filmeXanadu.

Brigitte Bardot

Posted in atrizes de Hollywood, Atrizes Europeias Não de Hollywood, cantora with tags , , , , , , , , , , , , on 01/12/2012 by ilustratordesign

brigitte bardot style blue
Brigitte Anne-Marie Bardot, Paris, 28 de Setembro de 1934, é uma atriz e cantora francesa. Conhecida mundialmente por suas iniciais, BB, é considerada o grande símbolo sexual dos anos 1960. Tornou-se ativista dos direitos animais, após se retirar do mundo do entretenimento e se afastar da vida pública.
Em 1962, filmou com Louis Malle e Marcello Mastroianni Vida Privada, um filme quase autobiográfico sobre uma celebridade do cinema sem vida pessoal, graças a perseguição constante da imprensa. Pouco depois deste filme, BB retirou-se da vida agitada das metrópoles europeias para uma vida de semi-reclusão, mudando-se para uma mansão  em Saint Tropez, no sudoeste da França. Em 1963 estrelou o aclamado filme de Jean-Luc Godard, O Desprezo, e pelo resto da década, seu mito de ícone sexual foi alimentado por filmes como Histórias Extraordinárias, com Alain Delon, Viva Maria, com Jeanne Moreau e As Noviças, com Annie Girardot, entre outros, além de vários musicais de televisão e gravações de discos produzidos por Serge Gainsbourg. Em 1973, pouco antes de completar quarenta anos, Brigitte anunciou que estava encerrando sua carreira. Após mais de cinquenta filmes e de gravar dezenas de discos, ela recolheu-se a La Madrague definitivamente, escolheu usar a fama pessoal para defender os direitos animais e tornou-se vegetariana.

Brigitte Bardot

Posted in atrizes de Hollywood, Atrizes Europeias Não de Hollywood, cantora with tags , , , , , , on 28/10/2012 by ilustratordesign


Brigitte Anne-Marie Bardot, Paris, 28 de Setembro de 1934, é uma atriz e cantora francesa. Conhecida mundialmente por suas iniciais, BB, é considerada o grande símbolo sexual dos anos 1960. Tornou-se ativista dos direitos animais, após se retirar do mundo do entretenimento e se afastar da vida pública.
Em 1962, filmou com Louis Malle e Marcello Mastroianni Vida Privada, um filme quase autobiográfico sobre uma celebridade do cinema sem vida pessoal, graças a perseguição constante da imprensa. Pouco depois deste filme, BB retirou-se da vida agitada das metrópoles europeias para uma vida de semi-reclusão, mudando-se para uma mansão  em Saint Tropez, no sudoeste da França. Em 1963 estrelou o aclamado filme de Jean-Luc Godard, O Desprezo, e pelo resto da década, seu mito de ícone sexual foi alimentado por filmes como Histórias Extraordinárias, com Alain Delon, Viva Maria, com Jeanne Moreau e As Noviças, com Annie Girardot, entre outros, além de vários musicais de televisão e gravações de discos produzidos por Serge Gainsbourg. Em 1973, pouco antes de completar quarenta anos, Brigitte anunciou que estava encerrando sua carreira. Após mais de cinquenta filmes e de gravar dezenas de discos, ela recolheu-se a La Madrague definitivamente, escolheu usar a fama pessoal para defender os direitos animais e tornou-se vegetariana.