Arquivo para 12/01/2014

Brigitte Bardot

Posted in Atrizes Europeias Não de Hollywood with tags , , , , , , , , , on 12/01/2014 by ilustratordesign

Brigitte Bardot
Brigitte Anne-Marie Bardot, Paris, 28 de Setembro de 1934, é uma atriz e cantora francesa. Conhecida mundialmente por suas iniciais, BB, é considerada o grande símbolo sexual dos anos 1960. Tornou-se ativista dos direitos animais, após se retirar do mundo do entretenimento e se afastar da vida pública.
Em 1962, filmou com Louis Malle e Marcello Mastroianni Vida Privada, um filme quase autobiográfico sobre uma celebridade do cinema sem vida pessoal, graças a perseguição constante da imprensa. Pouco depois deste filme, BB retirou-se da vida agitada das metrópoles europeias para uma vida de semi-reclusão, mudando-se para uma mansão  em Saint Tropez, no sudoeste da França. Em 1963 estrelou o aclamado filme de Jean-Luc Godard, O Desprezo, e pelo resto da década, seu mito de ícone sexual foi alimentado por filmes como Histórias Extraordinárias, com Alain Delon, Viva Maria, com Jeanne Moreau e As Noviças, com Annie Girardot, entre outros, além de vários musicais de televisão e gravações de discos produzidos por Serge Gainsbourg. Em 1973, pouco antes de completar quarenta anos, Brigitte anunciou que estava encerrando sua carreira. Após mais de cinquenta filmes e de gravar dezenas de discos, ela recolheu-se a La Madrague definitivamente, escolheu usar a fama pessoal para defender os direitos animais e tornou-se vegetariana.

Lizabeth Scott

Posted in atrizes de Hollywood with tags , , , , , , , , on 12/01/2014 by ilustratordesign

 lizabeth scott
Nascida Emma Matzo em Dunsmore , Pensilvânia, em 29 de setembro de 1922, Lizabeth Scott cresceu no “ghetto Checo ” de Scranton . Seus pais, John e Mary Matzo eram de origem eslovaca. Depois de frequentar a Central High School, em Scranton, Scott trabalhou como modelo em Nova York, enquanto cursava escola Alvienne de Drama. Adotou o nome artístico de  Elizabeth Scott, mais tarde mudado paraLizabeth Scott, por “ser diferente”. O seu trabalho em filmes comoThe Strange Love of Martha Ivers (1946) , Easy Living (1949) eDead Reckoning (1947) rendeu-lhe a fama de femme fatale.